Ir para o conteúdo

A terceirização da operação de nuvens através de MSP

Sua empresa iniciou a jornada para o digital (digital first), mas agora tem tido dificuldades para a contratação e retenção de mão de obra nativa em nuvem (cloud native). O que fazer? Esta é uma dinâmica comum, tendo em vista que cada vez mais trabalhadores, principalmente de tecnologia, têm optado por trabalhar remotamente para empresas estrangeiras.

Mesmo aqueles trabalhadores especializados em tecnologia de nuvem, que por algum motivo não conseguem ou não tem interesse em trabalhar para empresas estrangeiras, geralmente não costumam durar muito nos empregos, dada a imensa demanda nacional para esse perfil de profissional e, em consequência, ofertas de salários cada vez maiores.

>> Saiba mais aqui escassez de mão de obra em TI

Rotinas de monitoramento, segurança, e gerenciamento de recursos de infraestrutura de TI são essenciais para sua presença e resiliência digital. Porém tratam-se de tarefas repetitivas, com alto potencial de automatização. Está ficando cada vez mais inviável, sob o ponto de vista econômico, justificar os salários desses profissionais para este tipo de operação.

Médias e grandes empresas têm estabelecido centros de excelência em cloud computing (CoE) formados por profissionais em regime CLT, que atuam como administradores de contratos estabelecidos com provedores de serviços gerenciados, também conhecidos como MSP (Managed Service Provider). Este tipo de abordagem garante o foco dos profissionais da empresa na solução de problemas de negócio, enquanto os MSPs são os responsáveis por operacionalizar a estratégia definida pelo CoE. 

>> Saiba mais sobre como médias e grandes empresas estão enfrentando os desafios postos para suportar estratégias Digital First

O movimento de contratação de MSPs para apoiar estratégias de nuvem tem sido acelerado com o atual cenário de cibersegurança. Cada vez mais, médias e grandes empresas têm entendido que simplesmente não conseguem lidar com esse tema unicamente com a mão-de-obra própria. Reflexo dessa necessidade é o número cada vez maior de empresas que estão tendo seus dados vazados ou sequestrados.

O MSP agrega valor pois possui equipes especializadas, tanto em operação de nuvem quanto de cibersegurança que atende um universo grande de empresas. A exposição a diferentes tipos de problemas e a diversos casos de uso, garantem uma maturidade maior, se comparada a recursos internos, expostos somente a problemas e casos de uso limitados ao universo da empresa.

Adicionalmente, os MSPs já dispõe de equipes especialistas em regime 24×7, a economia de escala dos MSPs permite repassar aos seus clientes finais apenas uma fração do custo dessas equipes, deixando a equação econômica muito mais enxuta. De acordo com o relatório State of the Cloud 2021, 61% das organizações entrevistadas terceirizam algum trabalho em nuvem, sendo que 32% usam MSPs para a maioria dos casos do uso de nuvem pública. 

Frente à importância de gerenciar a nuvem de outras empresas, é necessário considerar a responsabilidade que a equipe da nuvem tem, principalmente na hora de governar o uso e os custos de IaaS/PaaS. Ainda de acordo com a Flexera, 54% dessa responsabilidade é do centro de excelência em nuvem, enquanto 6% fica com a equipe de suprimentos para gerenciamento de ativos de software e gestão de fornecedores. 

Vale ressaltar que essa responsabilidade não é à toa. É a equipe de TI que acaba decidindo ou, no mínimo, aconselhando sobre os aplicativos apropriados para a nuvem. Ela assume a maior parte da responsabilidade pela otimização de custos da nuvem, planejamento de migração e governança, além de atuar como consultora para ajudar os stakeholders a tomarem decisões fundamentadas e garantirem que os aplicativos selecionados estejam em conformidade com a estrutura de governança corporativa e as políticas de segurança da empresa. 

Como já se sabe, a utilização da nuvem precisa ser adaptada para todas as necessidades de cada empresa. Percebe-se, desse modo, o movimento de grandes empresas implementando o Centro de Excelência em Nuvem. Esta é uma forma de reduzir custos e riscos observada em 75% das organizações, que estão optando pelo MSP. 

Entenda melhor aqui como você pode liberar sua equipe de TI das tarefas repetitivas, para então focar no atendimento de requisitos do seu negócio


Roberto Rozon
Vice Presidente Comercial