Skip to content

After all, are machines taking over from human beings?

Há alguns anos muitos trabalhadores tinham medo de robôs acabarem ocupando os postos de trabalho de humanos. Atualmente, no entanto, já sabemos como é dividir o dia a dia de trabalho com vários bots. Mas, será que a expectativa continua sendo a mesma, de robôs “roubarem” o emprego dos humanos? Um estudo realizado pelo McKinsey Global Institute observou que máquinas com base em inteligência artificial estão, aos poucos, substituindo funcionários humanos. No entanto, não necessariamente isso representa uma disputa entre humanos e máquinas. 

A tendência maior, de acordo com o Gartner, é de que os Robotic Process Automation (RPA), ou seja, os processos de automação e hiper automação, sejam cada vez mais implementados nas empresas. A longo prazo, essa implementação causa um impacto profundo no mercado de trabalho. Porém, à medida que os trabalhos vão sendo automatizados, trabalhadores começam a ganhar novas funções. 

A Gartner estima, ainda, que em 2025 a IA aumentará o número de empregos, para dois milhões, nos mais diferentes níveis hierárquicos. Desde um cargo de alto nível, até um de baixa qualificação acadêmica.    

Ao unir RPA (que é um robô, em forma de software, que executa rotinas operacionais de um ser humano) e IA nas empresas, as equipes otimizam um trabalho que não é tão estratégico e é possível de ser feito por uma máquina. Eles permitem a automatização de atividades humanas de rotina como cadastros, consultas, validações e exportações, dando mais velocidade a esses processos, aumentando a produtividade e reduzindo erros.

O RPA possibilita a troca de informações entre sistemas sem a necessidade de construir uma interface entre eles. Dessa forma, os profissionais gabaritados podem ficar menos atarefados com demandas repetitivas e investir seu tempo em algo muito mais valioso: inovação e criatividade. 

Para citar mais uma pesquisa, o relatório State of Marketing, da Salesforce indicou que 49% dos 3,5 mil empresários entrevistados já usam a inteligência artificial, sendo que 35% querem testar o quanto antes. Isso tudo para dizer que dividir espaço com IA no trabalho deixou de ser tendência e já é a realidade. 

Os gestores das empresas precisarão favorecer a adesão da transformação digital na cultura organizacional da empresa, de forma gradativa. Os líderes de TI também precisarão considerar quais empregos serão perdidos, quais serão criados e como a equipe será remanejada, inclusive para a colaboração entre profissionais. 

Apesar das vantagens da implementação de RPA e IA na empresa, como mais segurança, aumento da produtividade, assertividade e melhoria na experiência do cliente, é importante líderes e gestores considerarem alguns pontos para tomar as decisões corretas, na hora certa: 

  • Muita atenção ao ler sobre as interações entre homens e máquinas. Novas tecnologias e manchetes alarmantes podem agir de forma negativa;
  • Seja sincero e fale da possibilidade de redução de pessoal, devido à automação, mas também diga que novas funções serão necessárias. Não é preciso pânico; 
  • Haja com estratégia e de forma humanizada na implementação da automação. Lembre-se que algo sempre pode dar errado, é melhor prevenir e ir com calma. 

Vale ressaltar, ainda, que a tecnologia pode trazer muita vantagem para o seu negócio, mas quem faz com que sua empresa siga em frente são as pessoas que trabalham com – e para – ela diariamente.     

Você está pronto para dar esse passo na transformação digital da sua empresa? Se precisar de ajuda para implementar o RPA, conte com a nossa equipe: 
https://materiais.matrix.com.br/fale-com-o-especialista

If you prefer, our team is ready to help you with your journey to the cloud!


Ricardo Giudice Diretor Comercial

Share