Ir para o conteúdo

Guia de compras para Cloud Computing

Guia de compras para Cloud Computing

Alavanque a produtividade da sua empresa, seja mais  competitivo, e beneficie-se do novo ecossistema digital 

A tecnologia tornou-se estratégia de negócios, não há como negar! O mundo corporativo entendeu que utilizar o cloud computing não só garante maior competitividade no presente, através do aumento da eficiência e redução de custos, como também alavanca a inovação e o futuro das empresas, ao fazer parte do novo ecossistema digital.

Cloud Computing como Estratégia de Negócios

Ao aderir à nuvem, as empresas passam a se beneficiar de centenas de fornecedores e  milhares de produtos de tecnologia que somente estão disponíveis no modelo cloud computing. Sejam produtos de tecnologia fornecidos por empresas tradicionais, ou de start-ups, a nova geração de tecnologias disruptivas são oferecidas somente no modelo de nuvem (as chamadas tecnologias nativas da nuvem, do inglês cloud native).   

A tendência é que o cloud computing vai crescer cada vez mais, conforme projeção do Gartner. A instituição publicou em outubro deste ano as principais tendências para 2022 e lá estão elas: as plataformas nativas da nuvem. 

É fato! Para empresas que buscam crescer e realmente ser competitivas no mercado, Cloud Computing tornou-se uma questão de necessidade e deixou de ser apenas uma opção. A tecnologia foi acelerada com o trabalho remoto, com isso, a internet passou a estar no centro das estratégias das empresas.

Entre outras novas funcionalidades capazes de alavancar a competitividade das empresas, a tecnologia permite o estabelecimento de data lakes na nuvem, alimentados por sistemas nas instalações das empresas (on-premises). Os data lakes são serviços capazes de transformar dados das empresas em insights de negócios, através de tecnologias de análise de dados, inteligência artificial e cognitivo. 

Outra vantagem-chave dos data lakes na nuvem é permitir a troca de dados entre entidades, como fabricantes e lojistas, por exemplo. Esta prática melhora a eficiência de toda a cadeia produtiva: as linhas de montagem, uma vez que a indústria sabe o que deve produzir em determinado período de tempo, e o comércio, têm melhor eficiência na gestão de seus estoques, ou passam a utilizar metodologias just-in-time. Este é apenas um dos exemplos de ganho de competitividade utilizando cloud computing; o que é conhecido como Indústria 4.0 

5 principais vantagens do Cloud Computing 

  1. Sob demanda: trabalhar com a computação em nuvem permite que a contratação dos serviços seja sob demanda, o que torna possível ampliar ou até mesmo reduzir as contratações, conforme variações de demanda
  2. Praticidade: com a nuvem é possível que diferentes usuários colaboradores, clientes, parceiros e fornecedores tenham acesso universal (através da Internet), simultâneo e personalizado. Isso alavanca produtividade nos negócios.
  3. Competitiva: mais e melhor! O fato de ampliar as possibilidades, consequentemente, atrai novos clientes. Os serviços em nuvem também possibilitam o gerenciamento seguro de grandes volumes de dados, de maneira segura. A informação disponível de maneira centralizada, torna a organização mais competitiva
  4. Colaborativa: tornar os processos e serviços colaborativos de forma simultânea impactam positivamente na entrega da equipe, ou seja, uma prova de maior eficiência operacional.
  5. Sustentável: poucos sabem, mas os serviços de cloud computing contribuem para um mundo mais sustentável!

>> Saiba mais aqui como você ajuda a proteger o meio ambiente com serviços de nuvem e datacenter: https://youtu.be/wSRjSg2BvKk

Porque  Cloud Computing?

Vamos então mergulhar nesse universo e detalhar Cloud Computing – Computação em Nuvem. Afinal, o que é? Como funciona? Quais as reais vantagens? Será que a tecnologia pode ajudar nos negócios de sua empresa? Vamos descobrir juntos!

Como você já sabe, Cloud Computing é uma tecnologia para todos, seja para uso particular ou empresarial. Permite que empresas ou indivíduos foquem nos seus processos de negócios, terceirizando operações de TI com provedores especialistas.

A lógica é que provedores especialistas conseguem atingir economias de escala em insumos, mão de obra e telecomunicações que seriam impossíveis de alcançar por empresas não especialistas, que atuam em outros setores que não de tecnologia da informação. Esta economia de escala alavanca menores custos e maior agilidade para as operações de TI, o que justifica economicamente a terceirização das operações de TI na nuvem.    

Apesar de existir desde 1997 e ganhar força nos anos 2000, a computação em nuvem foi acelerada durante a pandemia de Covid-19, principalmente devido a adoção das organizações ao home office.

O serviço na nuvem é usado conforme a demanda de cada organização, sendo para armazenamento de dados, acesso e manuseio de aplicativos, servidores, entre outros. Para se ter uma breve ideia da importância, empresas como Google, Amazon e Netflix são basicamente sustentadas por serviços em nuvem.

Modelos de  cloud computing

Resumidamente, a computação em nuvem funciona para fornecer aos usuários serviços de software e aplicações  que se encontram centralizados em um data center (ou na nuvem) – ambiente de processamento de dados.

O primeiro passo para uma empresa avaliar o cloud computing é fazer uma análise de suas cargas de trabalho, entender qual delas mover e para que tipo de infraestrutura de nuvem: 

Nuvem pública: é um modelo que possibilita o compartilhamento de recursos computacionais entre diversos usuários. Esse tipo de nuvem tende a ser barata, porém pode ter  limitações quanto a performance e a segurança dos dados e aplicações na nuvem. 

Nuvem privada: é um modelo que garante que os recursos computacionais sejam oferecidos de maneira dedicada. Este modelo de nuvem garante uma melhor performance e segurança do ambiente de nuvem, porém tende a ser mais caro.

Nuvem híbrida: trata de uma plataforma de nuvem capaz de oferecer os dois tipos de ambiente (público ou privado) de maneira unificada. Esta nova geração de plataforma de nuvem tem se tornado a melhor prática do mercado para médias e grandes empresas.

>>saiba mais aqui sobre plataformas de nuvem híbrida: https://materiais.matrix.com.br/lp-ebook-infraestrutura-hibrida-de-ti-idc

Multi-Cloud: quando o uso da nuvem amadurece, é natural a evolução para o uso de serviços especializados em nuvens públicas distintas. Esse é o uso “multicloud”, onde as aplicações são distribuídas em duas ou mais nuvens públicas a fim de extrair o máximo de cada uma.

Modelos de entrega na nuvem

Uma vez mapeadas as cargas de trabalho e sua infraestrutura de destino na nuvem (pública, privada, ou híbrida), é necessário estabelecer o modelo de entrega desejado para cada aplicação. Nessa etapa, deve ser avaliado o escopo de serviço desejado para cada carga de trabalho.

IaaS – infraestrutura como serviço: o escopo de serviços é a entrega da infraestrutura de servidores, sistemas operacionais, banco de dados e armazenamento pelo provedor de serviços. O cliente será responsável por implantar e gerenciar suas aplicações. 

PaaS – plataforma de aplicações como serviço: o escopo do serviço do provedor é a entrega de funções de software. Geralmente utilizadas por desenvolvedores, são comuns as ofertas PaaS para processamento de folhas de pagamento, ERPs e CRMs na nuvem. O cliente adquire uma “organização” para uso de sua empresa em uma plataforma de software indicada.  

SaaS – software como serviço: o escopo de serviço é a entrega da aplicação pelo provedor.  Os exemplos mais didáticos são as ferramentas de produtividade como o Office 365 ou o Google workspaces.

FaaS – função como serviço: trata do fornecimento de APIs com funções de aplicação, e a cobrança pelo seu uso. É utilizada em arquiteturas server-less: aplicações desenvolvidas com um mínimo de código proprietário, fazendo chamadas a APIs externas.

Importante ressaltar que a mesma empresa pode utilizar todos os escopos de serviço simultaneamente, para diferentes aplicações ou cargas de trabalho distintas. Na verdade esta é considerada como a melhor prática.

Proteção de Dados e Backup

A possibilidade de armazenamento remoto de cópias de segurança (backups) periódicos resultam em mais eficiência e segurança

Aqueles espaços físicos para arquivar documentos já podem ser considerados coisa do passado. O armazenamento digital proporciona celeridade à operação das equipes, pois facilita o acesso e o manuseio dos arquivos. Além disso, considera-se uma aposta segura o arquivamento em cloud computing.

A automatização de Proteção de Dados é um fator-chave na jornada para a nuvem. É necessário pensar que a cibersegurança é um seguro digital para o patrimônio de sua empresa e seu cliente. Consideram-se ameaças à segurança não somente a invasão de hackers no sistema ou a disseminação de vírus, perda ou sequestro de dados. Os dados precisam também estar protegidos contra uma inesperada falta de energia elétrica ou simplesmente uma pane no sistema.

Para isso, também é fundamental entender alguns dos principais tipos de proteção de dados e, assim, avaliar qual se encaixa melhor para o seu negócio.

Políticas de Backup

Backup completo: realiza cópia de todos os arquivos novos e já existentes. A periodicidade é definida pela empresa, podendo ser, por exemplo, diária, semanal, quinzenal ou mensal.

Backup diferencial: copia os arquivos a partir do último backup realizado. Diferente do backup completo, aqui ele não salva em duplicidade os arquivos.

Backup incremental: a grande vantagem nesse serviço é que ele é feito em tempo real, ou seja, no momento em que o arquivo é alterado.

Políticas de Cibersegurança

Autenticação de Múltiplo Fator (MFA): previne que hackers se passem por funcionários, clientes ou parceiros, confirmando sua identidade: Adicionalmente ao usuário e senha, envia um código para seu celular, e exige a confirmação do código para acesso a dados e sistemas.

Antimalware: proteção contra malware, ransomware, e ataques virtuais baseada em em inteligência artificial e machine learning. 

Gestão de configurações: automação da gestão de configuração e patches para eliminar pontos fracos de todo seu parque de TI:Terminais, servidores e nuvem.

Cofre de Senhas e Gestão de Acessos Privilegiados: Solução de gestão de políticas de acesso a conteúdos sensíveis e sistemas de missão crítica. Assegura a guarda segura de credenciais de acesso a sistemas, automatiza a gestão de identidades. 

Neste guia sobre Cloud Computing, nosso objetivo foi explicar como os principais serviços de nuvem funcionam e como eles podem beneficiar a sua empresa e os seus clientes.

A Matrix conta com um time em nível de excelência para ajudar a sua empresa nesse processo. 

Contate-nos e confira como, juntos, podemos embarcar nesse voo e escolher a melhor cloud para os seus negócios!


Alexandro Castelli
Diretor de Produtos

Compartilhe